quarta-feira, 3 de março de 2010

ACORDO



Acordo como fosse pisar
no meu outro lugar eu
discordo do Mundo
das paixões e das discórdias

Eu não falo nada e finjo que escuto
Eu não escrevo mais e me deixo morrer
Eu não confesso saudade

Já não choro mais
Não falo mais alto
Não tomo mais coca-cola
Não rezo pra mais
ninguém. Eu sou
o café amargo que esfriou
sem me esperar
o vento que não pára
e as páginas em branco
que voam dele.

Um comentário:

Enzo Potel disse...

depois de seis meses de férias, o abismo de letras volta à tona!

se for um abismo abissal, os segredos vem de baixo, trazendo luzes, tentáculos, dentes, corpos elétricos..

se for um abismo de cima, os segredos permanecem sobrevoando em pipas, zepelins, andorinhas, corpos com penas.

T amo!!!!!!!!