quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Menino, quieto...





Por tempos dentro da morada
toda poesia incomodava
os habitantes todos

Não entendiam

E olhares eram trocados
desconfiados
entre a mamãe e a geladeira
com sua porta entre aberta

No quarto a cômoda cheia
olhava assustada 
para o papai
e em silencio trocavam confissões

E o menino, quieto
sob os olhares 
compreensivo da cadela
só fazia sentir os barulhos
da caneta no papel...
ele só fazia poesia.

Fredericco Baggio

5 comentários:

Tiago Jucá disse...

senti uma metáfora muito forte neste texto, uma espécie de comparação, o outro você falava de esperar, neste você fala também de um garoto que aguarda e observa...

menino de Dom.
=D

Duda disse...

Querido, que lindo esse poema... me indentifiquei... snif!
Se cuida to sempre por aqui....

Enzo Potel disse...

como a imagem casou com o poema... e que casamento bonito.

bjãozão!!!!

Dafny disse...

Me identifiquei com esse!
Linda a figura!
Saudade pura e simples.
Bjo

Danielle disse...

Lindo! Vc escreve mto bem e com mta sensibilidade Fre! De uma pureza belíssima esse. Amei!